domingo, 28 de setembro de 2014

Carta

Essa é uma carta pra você... assim como todos os outros textos.

Eu ainda continuo gostando de como o sol bate em seu rosto, o iluminando de um jeito todo especial... eu ainda gosto jeito que você me olha e sorri para mim. Eu ainda gosto do seu cheiro, do seu abraço, da sua voz em meu ouvido... Eu ainda gosto de ouvir seus "Boa noite, minha linda" ou ler suas mensagens. Eu ainda gosto do fato de você estar próximo de mim todo final de semana....

Eu ainda gosto do seu cabelo, do jeito que você pega a minha mão... de como você gosta das mesmas músicas que eu e de como eu sei que você se sente quando você olha para o céu. Eu ainda amo saber dos seus sonhos e agora, mais do que nunca, eu quero que você se apegue neles e os siga.

Não... não deu certo agora. Mas e se der certo mais pra frente? Seja esse mais pra frente daqui a pouco tempo ou anos... eu não sei.

Eu ainda gosto de você... mas não deu.
Eu ainda gosto de você... mas e se der?
Eu ainda gosto de você... mas eu não sei.

I still like you, just the way you're. But I don't think that now is our time.
Right couple, right place, right feeling... but wasn't a good time.

:/

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

I know that sometimes I feel down. Who doesn't? I think feeling down is not a problem... we cannot be happy all the time. I need to feel a little down so we can really give value to moments of joy... And it doens't mean that just because you're feeling a little down that you're not happy. That's not the truth!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Uma metamorfose urgente, por favor...

Diariamente tenho descoberto que me incomodo com várias coisas... pequenas coisas que fazem a diferença no contexto total e geral, se formos analisar. Eu gosto de falar e escrever sobre o que eu penso, gosto de discutir ideias, sejam elas parecidas ou totalmente diferentes. Gosto de tentar observar e analisar as coisas sobre um outro ponto de vista, até mesmo para conseguir me tornar uma pessoa mais crítica. Acredito que essa coisa de ficar fazendo o mesmo discurso por dias e dias, anos e anos pessoalmente não está com nada. Qual é a vantagem de ficar se repetindo a mesma coisa? A fim do que? Dela ficar estagnada pra sempre?

Claro que precisamos de bases de pensamentos, até porque todos nós, por mais que mudemos de opinião sobre teorias, acontecimentos, nós temos uma base. Mas qual é a de ficar falando a mesma coisa e tapar a viseira? Pra mim quem fica fazendo discurso sobre a mesma coisa de forma adoidada e acalorada é como um burro e sua viseira, metaforicamente falando, digamos assim. 

Devemos crescer sempre, procurar a evolução e não ficar falando sempre as mesmas coisas. É engraçado como pessoas de centros acadêmicos ou acalorados pela "causa social" sempre possuem o mesmo discurso, que veja só que engraçado, é sempre acalorado e fanaticamente o oposto do que a (não queria usar essa palavra, mas ok!) política e opinião da direita, por exemplo. Pra mim fica claro que é uma vontade de ser do contra, entende?

Pelo menos, para mim, pessoas que criticam fervorosamente religiosos fervorosos estão no mesmo saco que o deles. Qual é o ponto de você ficar discutindo fervorosamente com um fervoroso, seja fervoroso em qualquer opinião que seja (religião, política, opinião e por aí vai)? É a mesma coisa de que socar fortemente uma parede. A parede vai continuar ali e a sua mão vai estraçalhar, ou no mínimo ficar um pouco dolorida. 

Discursos fervorosos não valem nada, ao meu ver. O que precisamos é alcançar o equilíbrio, ou pelo menos tentarmos alcançá-lo, mas não dessa maneira louca de ter os dois extremos. De nada adianta!

Esse texto foge um pouco do que eu escrevo frequentemente, mas eu realmente precisava liberar meus pensamentos de alguma forma, e acredito que escrevendo aqui me ajuda a isso. Do mesmo jeito que acho desnecessário ficar discutindo fervorosamente, acho desnecessário ficar gritando a minha opinião aos quatro ventos para quem não está dando a mínima para ler ou ouvir.
Maybe what I'm going to say isn't a surprise for the ones that know me for a long time, but it is for the ones that doesn't know that much about me.

I did say that I'm missing so fucking hard my uncle, my aunt and the U.S. But in a way that you couldn't imagine. The thing is that I'm not that happy with my family. They don't care about me, they just want me to live my life without disturbing them and that makes me feel so sad. When I was with my uncle I felt loved, I felt that someone took care of me and that they really felt like I was special. I felt special with them. Here I feel like crap.

I have a job interview tomorrow. A big interview for a big company and my parents just said 'cool'. They didn't say "Congrats!" or huged me like my uncles would do. They didn't tell me how behave like my aunt did. They didn't pay attention to me when I said that. Instead of this, my mom just kept playing Candy Crush on her cellphone. Nothing more.

The thing is: I don't belong here. I don't belong with my family. I belong with my uncle or with anyone who loves me like they do. Someone who cares about me. I'm tired of being strong and persist on this thing. I'm done with being a strong lady. I feel that I need care. I need to be huged and kissed.

I don't know if my english was great on this essay, but this is how I feel right now. And the most curious thing is that I can't say this in portuguese. My brain and my heart just start thinking in english when I think about this. I'm sure that this mean something.

I miss the hell out of my uncles. I want my trip back, I want my dream back. I want to live away from them, I want to fly. I want to live my life.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014


Mil oportunidades. Mil chances. Mil olhos. Mil olhares. Mil pensares... Mil universos.
Às vezes o seu universo está no olhar de outro alguém.

Vontades e desejos

Um dos meus maiores desejos é de conhecer e ir a uma cachoeira.
Eu nunca fui à uma cachoeira... e sei que quando for, tem que ser muito especial.

Eu sei lá porque, mas tenho essa coisa com a cachoeira e limpeza. Parece que quando eu entrar em uma cachoeira, irei me limpar e me energizar pra caramba. Sempre tive esse pensamento, tanto que um dos meus textos que escrevi há tempos atrás foi sobre encontrar uma cachoeira e consequentemente encontrar um sentido para minha vida... Essa ligação metafórica tem um sentido e tem sim o meu desejo escondido por de trás das palavras.

Acontece que eu sempre quis ir e me sentir naquele lugar. Me sentir como um ser se banhando na queda d'água, me sentir como um ser do universo, como uma pessoa única. Sei que todos nós somos únicos, mas a cada dia que passa esquecemos disso. Pode ser culpa do sistema, pode ser culpa do governo, da cultura, pode ser culpa do que for... mas a cada dia que passa esquecemos de como nós somos únicos. Podemos até encontrar pessoas parecidas conosco, mas jamais, jamais encontraremos alguém que seja completamente igual a nós.

E não tem nada mais bonito do que isso. Imagina se as pessoas, se as coisas fossem iguais? Imagina se as pessoas gostassem das mesmas coisas? Não haveriam debates, discussões ou troca de opiniões. Apenas elogios e puxação de saco pra lá e pra cá. Bléh.

Não tem coisa melhor do que ser única? Pense... pense naquela pessoa que você mais gosta e que no momento ama com todo o seu coração. Você sempre irá se lembrar dela em algum momento, pois só se lembra de quem já amamos um dia. Pense na pessoa que você mais quer ao seu lado neste momento. Alguém te causa a mesma sensação que ela? Alguém te traz mais alegria - ou em alguns casos, sofrimento - do que ela? Alguém te faz sorrir mais do que ela? Ou do mesmo jeito como ela?

Podemos até sorrir mais ou menos para algumas pessoas, mas jamais será o mesmo sorriso.

Eu por exemplo, tenho mil e um sorrisos e quando um certo nome aparece em minha mente, eu sorrio de um jeito que confesso - nunca sorri antes. Sorrio tanto que minhas bochechas, que já são grandes e gordinhas, sobem e ficam duras, chegando a dar cãibra de fez em quando. Ficam meio rosadinhas...

A questão é: todos nós somos únicos. E ninguém será capaz de substituir ou entrar no lugar de alguém, porque cada um conquista seu espaço dentro de nós...

Inquieta

Eu pensei em começar a escrever esse texto falando do quanto eu fico chata às vezes. Mas eu parei e pensei... será que isso é realmente ser chata?

São os dias como os de hoje que tudo parece ser interessante para mim. Tudo. Tudo vale a pena ser conversado, ser discutido. Ser avaliado, ser observado a partir de vários aspectos e visões diferentes. Dias como os de hoje que eu fico inquieta e saio comentando ou conversando sobre tudo. Mas geralmente são nesses dias em que não encontro ninguém para conversar comigo. Aí eu fico me perguntando: será que o problema está nos outros que não acompanham o meu ritmo ou em mim, que sou chata e quero a atenção de tudo e de todos?

Sei reconhecer às vezes que sou um pouco chata no sentido de cortar os outros enquanto eles estão conversando, entre eles ou até mesmo comigo. O pior é que eu não consigo evitar... a minha sorte é que eu tenho percebido isso e venho me desculpando quando isso acontece e tentando diminuir esse meu comportamento. Sei que posso me atrapalhar muito ainda no futuro por causa desse meu jeito um pouco afobado de querer conversar sobre tudo a todo momento, a necessidade de compartilhar todos os pensamentos que passam em minha mente naquele instante.

Aí entro em outro tópico (me aguentem, hoje eu tô que tô!). Venho reparado ultimamente que a minha mente, meu pensamento não acompanha a minha fala ou até mesmo a minha escrita, por exemplo. Por isso que eu vou pulando de tópicos em tópicos, que para vocês que leem podem não fazer nenhum sentido mas que para mim se conectam perfeitamente. Minha mente é muito mais rápida do que eu consigo externalizar e eu só consigo externalizar metade ou até mesmo 1/3 somente do que penso. Embora algumas pessoas achem o contrário, eu penso muito, muito mesmo. Eu estou a todo momento pensando e dificilmente consigo controlar o meu pensamento, o que me faz invejar quem consegue.

Tenho que me controlar ao máximo para não pensar mil e mil coisas... diferentemente de sentir, por exemplo. Muitas pessoas me acham sensível, emotiva... Acontece que sei controlar meus sentimentos melhor do que muitos pensam. Se você me conhece há um tempo e já me viu tendo alguns, digamos, descontroles emocionais, pode até dizer o contrário, mas sei que sou muito cautelosa com o que eu sinto. Eu penso - e lá voltamos nós para o meu pensamento - mil vezes antes de realmente sentir algo, o que pode se tornar até um pouco incongruente, se formos pensar. Eu tento ao extremo para não me jogar e sentir meus sentimentos por completo, porque eu sei que quando eu me permitir sentir totalmente, pode ser que não haja volta e que o meu sofrimento se aquilo não certo seja algo que me abale profundamente.

Deve ser por isso que nenhum relacionamento que eu tenho não seja intenso, seja amoroso ou seja de amizade. Não gosto de me envolver com pessoas pela metade, pois assumo que se são metade para mim, já não são assim tão interessantes. Não me envolvo em algo que sei que não terá futuro, pois aquilo que é breve não me interessa. Procuro sempre estar com as pessoas que eu amo por completo. Pois se eu as amo, as quero perto. Sempre. Não me importo tanto com a presença física, embora ela seja um tanto que essencial, mas me importo muito mais com uma presença emocional. Tenho uma amiga que mora em outra cidade que vejo muito menos que colegas que estão próximos de mim todos os dias, mas que não me deixo envolver emocionalmente uma gota d'água se quer.

A questão é que tudo, para mim, tem que ser todo.
Para permanecer em minha vida, tem que ser todo. Pois se é metade, já não me interessa mais.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Eu parei para pensar e sentir agora... e como eu queria estar em seus braços. Como eu queria agora, nesse momento, estar em seu abraço, deitada em seu ombro. Como eu queria estar dormindo enquanto você faz carinho em meus cabelos, faz um cafuné e me beija o topo da cabeça.

Como eu queria escutar agora a sua voz em meu ouvido, me dizendo coisas bonitas, me dizendo o como eu sou bonita. Me dizendo o quanto me ama e o quanto gosta de mim. O quanto me quer bem e o quanto me quer. Me dizendo que tudo vai ficar bem e o melhor de tudo: que sim, você estará aqui do meu lado.

Você sabe que eu preciso de você hoje... pois realmente, hoje foi um dia bem difícil. E é nesses momentos que eu valorizo ainda mais o seu abraço. Que eu valorizo cada segundo que passamos juntos. Não que eu não valorize isso quando estamos juntos, mas isso só me faz ter certeza de que sim, eu gosto de você. Que sim, estou fazendo a coisa certa em ficar ao seu lado. Que sim, eu quero te retribuir todo esse gesto de carinho... que eu quero estar aqui/aí por você em todos os momentos que você precisar. Pode ser coisa de signo solar, ascendente, lua ou o escambal... mas eu só consigo pensar em nós. Em mim e em você. Juntos.

E essa música tem tudo a ver... "A Lovely Place to Be"... That would be in your arms. ♥


segunda-feira, 8 de setembro de 2014

About the future

"E sobre o futuro? Nós não sabemos nada sobre o futuro. Se tivéssemos bolas de cristal, ainda assim não experienciaríamos o futuro. Experienciaríamos uma 'visão' do futuro. E tudo isso ocorrendo aqui e agora. (...), nós temos medo do futuro" (p.70) 
 Fritz Perls - Gestalt-terapia Explicada

Pensamento

E no final das contas, não são os anos em sua vida que contam. É a vida nos seus anos. 
Abraham Lincoln

(Uma fotinho pra esnobar um pouquinho, haha)

Escrita

A escrita sempre foi uma forma que encontrei de me encontrar comigo mesma, embora eu não soubesse muito disso. Algumas pessoas têm o dom do desenho, o que eu pessoalmente acho fantástico. Mas não vim com esse dom à Terra, então me atenho a minha escrita.

Não sou de ficar escrevendo com mil e uma dificuldades, digamos assim. Não quero ser prolixa, muito pelo contrário, quero ser direta com o que eu sinto e escrevo, embora muitas vezes seja extremamente difícil, confesso. Acho que a escrita, assim como o desenho, tem suas vantagens.

Gosto muito de escrever aqui no blog, porém sempre que posso eu escrevo no meu caderno de pensamentos. Tenho um, assim como todo escritor ou pelo menos, pensador, digamos. Não pensador no sentido da filosofia - o que não impede que eles também tenham um caderno de pensamentos - mas pensador no sentido de escritor. No sentido do pensar sobre a sua vida, sobre a sua história. Até mesmo pensar sobre os seus sentimentos.

Pode ser que isso pareça uma tentativa de racionalizar os sentimentos, mas se parecer, quero deixar escrito que não é minha intenção. Até pode ser que isso aconteça, mas como consequência e não como um ato pensado. Não escrevo para racionalizar, muito pelo contrário, escrevo para entrar em contato com os meus sentimentos. Escrevo para liberar esses mil sentimentos que possuo em meu coração, para entrar em contato com eles e sentí-los.

A verdade é que é muito difícil para nós entrar em contato com o que sentimos, com os sentimentos. Mas assim como desenhistas, artistas... utilizo das palavras um meio de entrar em contato com eles.

Sinto que sou escritora, mas o peso do rótulo me assusta um pouco. Não quero escrever para ser famosa, não quero fazer isso de minha profissão, muito pelo contrário. Escrever é meu hobby. Um escritor profissional, digamos assim, tem de se ater aos rótulos do que escreve. Poesias, poemas, crônicas, narrativas... eu somente escrevo. Não sei o que, mas para quê escrevo.

E assim, vou escrevendo, me aliviando... me conhecendo.
Quem sabe assim, escrevendo sobre mim, não é um meio das pessoas conhecerem um pouco todos os meus lados também? Vai saber...

Os aprendizados que tive esses anos que me passaram só me mostraram que a vida é uma eterna dúvida, pois somente temos certeza do presente. Ou de como a minha querida Gestalt diz: do aqui e agora...


 

Adaptado

Brilhe estrela. Brilhe como nunca.
Brilhe pois agora é a sua hora de brilhar.

Sei que brilha, sei que poderá ser estrela.
Mas todos precisam ser lapidados e você tem potencial para brilhar.

Pensei primeiramente que fosse estrela, mas agora penso que talvez seja diamante.
Uma pedra dura, que somente outros diamantes conseguem te ferir. Porém são eles que irão te lapidar.

Brilhe, estrela, brilhe como nunca brilhou antes.
Você tem sim potencial.

Em alguns lados você brilha, em outros nem tanto. Mas como disse, você precisa se lapidar.
Não será fácil, nenhum pouco. Mas sei que irá aguentar.

Pois você é firme, forte... assim como um diamante.
Por isso, estrela... nunca se esqueça de seguir.

Nunca se esqueça de brilhar.

Retirado e modificado do meu caderno de pensamentos.
Primeira ideia escrita em 23 de julho de 2014.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Saudade

This is a letter from your niece! 

Hey uncle and aunt! I know that I usually talk with you in portuguese but I thought that this way would be better to write about my feelings. After all, I was in the US when I discovered that my love for you was bigger than I could imagine. 

I know that I'm a sensible person with a heart full of love but I love hearing that from you, lovely aunt! I'll call you Tia Stef - tia is the same as aunt in portuguese! - because even if I'm talking in english with you, Tia is better because when I say this word, I say with all love I can say! 

Tia, I saw in you not just a friend, an aunt but a godmother and a person that really cares about me. With you by my side I can see and feel all the love in the world. With you I can see the world with the eyes of a child. I can feel that you love me and there's nothing more ♥♥♥♥ - words I cannot say because not even in portuguese I don't have one, I just have my feelings - that I could ask for it. I love you, I really do. With all my heart!

Uncle, or Tio in portuguese. Thank you for your wisdom, for your love, for your patience, for your jokes, thank you for being my godfather too. I know that you really aren't my godfather because you're my sister's godfather, but in my heart you're mine too. You gave me things that not even my dad could give me, you gave me the opportunity to live in another country, to improve my english and to discover love in other ways. I did love you, guys, but now I feel like my love for you is bigger than my heart. 

I don't know if I'll show you this, but I really wanted to write about it. I miss you guys so damn much. I miss you like I've never missed anyone before. I wish I could be there with you, with Rubi and with our sushi and Grey Goose! Hahaha... I wish I could be there to go every sunday at the Chinese Restaurant and ask for a pink lemonade. 

My love is in my eyes right now as tears, but not tears of sadness. Tears of love that insist to go trough my eyes. You're one of my favorite people in the whole world.

AND I MISS YOU AND LOVE YOU SO DAMN MUCH! ♥♥♥

Ar

Como sempre, estou aqui escrevendo... esse texto, embora não seja uma surpresa, talvez, quero deixar aqui sem te avisar... para que você leia e escape um sorriso de canto e suas bochechas fiquem vermelhas, como eu sei que ficam (e que eu amo que fiquem, saiba bem disso ♥).

A verdade é que você é o grande responsável por eu ficar cada vez mais apaixonada pelo céu. É tão bonito quando alguém conversa com a gente sobre algo que elas gostam, que elas amam... você começa a ter uma visão mais ampla, uma visão mais bonita sobre algo que às vezes você nem se dava conta ou pelo menos nem prestava tanta atenção assim. É tão bom ouvir e ver alguém apaixonado por algo e não sempre falando mal sobre alguma coisa, reclamando. É tão bom ver alguém que você gosta estar fazendo o que mais ama, estar perseguindo seu sonho assim como você persegue e vai atrás dos seus.... é tão lindo, é tão fofo é tão... aw!

Você é lindo e já disse isso várias e várias vezes... mas você fica tão lindo quando fala sobre o que gosta, sobre o céu, sobre voar. Sobre avião, hahaha. Seus olhos brilham, seu rosto muda, você fica com um ar de apaixonado... Apaixonado pelo que quer fazer. E cá entre nós, vou te contar um segredo: essa foi uma das coisas que mais me encantou em você. Essa paixão, essa vontade de perseguir e persistir em seu sonho.

Sei que já disse isso várias e várias vezes, mas eu senti algo diferente quando eu voei pela primeira vez, e você foi sim o responsável por isso. Eu senti uma vontade de te abraçar, uma vontade de te agradecer por todo o apoio e por ter me deixado tão tranquila e sem medo algum de voar. Foi você quem me fez curtir a minha primeira decolagem, a minha primeira experiência de voo. E quando eu estava lá em cima, olhando para o mundo tão pequenininho lá embaixo, já naquele dia, eu queria te abraçar e agradecer você por tudo aquilo que você tinha dito para mim. Eu achei estranho, achei diferente... e achei melhor deixar pra lá quando eu cheguei nos Estados Unidos, confesso. Achei que estava ficando maluca e até mesmo me iludindo, o que não é lá muita mentira - o que você talvez me entenda, porque essa é uma das sinas dos sonhadores. Sonham tanto que se perdem em seus sonhos algumas vezes simplesmente por se deixarem levar pelo simples prazer de sonhar e quando voltam a realidade, o baque às vezes pode ser grande, mas quem sabe pode ser um baque de felicidade por perceber que nossos sonhos deram certo? Quem sabe...

Mas voltando ao que estava dizendo, eu deixei pra lá por algum tempo... e conforme nós íamos conversando, eu sentia uma grande vontade de te chamar pra sair, como assim foi. Eu simplesmente não aguentei e umas duas semanas antes de voltar, te chamei pra sair. Na impulsividade mesmo, na cara e na coragem e digo uma coisa: não me arrependo nenhum pouco. Pois foi naquele dia, naquele final de filme quando você pegou no meu rosto e me deu o nosso primeiro beijo... eu senti a faísca do que eu senti no meu primeiro voo. E a nossa noite com Pink Floyd na madrugada com chuvinha batendo no vidro do carro só veio para confirmar e me dar mais certeza disso.

Eu estou feliz, muito feliz na verdade, em estar com você. Estar compartilhando todos os momentos que estamos vivenciando... estar compartilhando todas as minhas experiências com você. E fico mais feliz ainda quando você faz a mesma coisa comigo. Você é uma das minhas melhores surpresas esse ano e está dando cada vez mais motivos para meus olhinhos brilharem e meu sorriso sair solto no meu rosto. Você sabe que eu não consigo ficar sem sorrir ou rir de bobeira do seu lado. Você sabe que eu não aguento dois minutos - ou cinco, vai! - do seu lado sem segurar a sua mão ou te abraçar.

E como sempre falamos um pro outro todos os dias em que nos vemos... muito obrigada por todos os dias. Por antes de ontem, por ontem, por hoje e pelos dias que ainda vão vir. Saiba que estarei aqui para te apoiar sempre que precisar e estarei aqui pra te consolar, pra te dar carinho ou um beijinho no canto da sua boca, só pra ver você me olhar e corar um pouquinho, pra depois me abraçar e me colocar deitada no seu ombro... Saiba que eu vou estar aqui te esperando todos os finais de semana com um sorriso bobo no rosto, esperando pra te ver sorrir.

Esperando pra te ver voar ♥

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Madrugada em um carro

É, esse texto é pra você. Assim como muitos que eu tenho feito. A verdade é que estou aqui, em minha cama, deitada com o meu notebook na cama, ouvindo uma playlist super sugestiva e oh, que surpresa, me veio a vontade de escrever e você já percebeu que a inspiração bate em mim do nada...

Eu fico lembrando das madrugadas no carro. Querendo ou não, começou assim. Uma das madrugadas mais lindas que eu já passei, mais carinhosas, mais especiais. Eu até hoje fico impressionada com a sua habilidade de sempre me surpreender, com a sua preocupação... Confesso que colocar Pink Floyd e não somente Pink Floyd mas meu álbum preferido pra tocar foi um gole baixo, haha.... e uma das surpresas mais deliciosas que alguém já fez para mim.

Toda vez que eu me lembro de você, eu me lembro como você olha para mim, lembro do seu sorriso, do jeito como você faz carinho em meu rosto. De como você me puxa pra você, com firmeza e carinho ao mesmo tempo. Como você sussurra o meu nome em meu ouvido e me enche de elogios... quando você elogia as minhas costas. Como você beija o meu pescoço e me faz arrepiar da espinha até o último fio de cabelo...

A verdade é que eu fico esperando a semana inteira pra você chegar. Fico esperando pra te ver, esperando pra ver seu sorriso, pra fazer com que você sorria, ria e me beije, me beije muito. Fico escutando mil e mil músicas, de Strokes, Pink Floyd ou uma playlist qualquer no Spotify. Eu quero você e só você. Mas eu acho que isso você já sabe.