domingo, 15 de fevereiro de 2015

Tranca

Eu a tranquei para mim mesma... e a chave esqueci em algum lugar.

Bola preciosa

Isso vai soar estranho, talvez... mas eu cheguei a conclusão de que tenho uma bola preciosa. Como se fosse uma bola de cristal, mas não como nos filmes, literatura ou aquelas encontradas com as cartomantes e videntes. Essa minha bola de cristal é como se fosse uma pedra preciosa... pedra essa que guardo com carinho, com amor. Pedra essa que me traz as lembranças e memórias mais lindas, puras e cheias de amor que eu pude já sentir. 

Não gosto de chamá-la de pedra, pois parece assim que ela é dura, fria. Por isso a chamo de bola... minha bolinha preciosa. É pensando nela que as lágrimas rolam, é pensando nela que eu sinto que ainda sou uma pessoa quente por dentro. É pensando nela que vejo que fiquei para trás. Ou para frente. É como se ela me dividisse em duas ou me fizesse lembrar daquela quem fui e me faz ter consciência daquela que sou. 

Bola essa que guardo com carinho dentro do bolso de todas as minhas roupas, de dentro da minha memória. Bola essa que ficará presa comigo para sempre.